Ouvindo Agora: GABRIELA FM - SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Cleo Pires tira sobrenome e se lança como cantora e compositora: ‘Textos meus’

Cleo Pires vai seguir os passos do pai, Fábio Jr., e se lançar como cantora em um CD com músicas totalmente escritas por elas. Além disso, a irmã de Fiuk decidiu tirar o sobrenome artístico da mãe, Gloria Pires. “Sempre quis ser chamada apenas como Cleo. Gosto muito do meu nome e da sonoridade dele, acho um nome forte. Gosto de nomes curtos e sem sobrenomes”, explicou para o colunista Bruno Astuto, da revista “Época”. “Inclusive, quando tinha 12 anos, dei uma entrevista e falei exatamente isso, que queria ser conhecida como Cleo”, recordou a atriz que já havia ironizado sobre a retirada do sobrenome Pires.

‘Não quero me fechar num único gênero’, apontou

Em seu CD de estreia, produzido por Guto Guerra, a enteada de Orlando Morais contou que a falta de tempo atrasou sua dedicação à música. “É uma paixão antiga que sempre quis explorar. Sempre amei cantar e tudo que é relacionado a música, porém, com os projetos na TV e cinema, não encontrava tempo para me dedicar como gostaria”, explicou. A ex-namorada de Rômulo Neto, que mantém tatuagem em sua homenagem, acrescentou: “Não quero me fechar num único gênero, não tenho um único estilo que desejo seguir. Todas as músicas estão sendo criadas a partir de textos meus totalmente novos e também alguns que escrevi há anos”.

Atriz nega ter sido influenciada em estilo musical

Filha e enteada de cantores, Cleo pondera em relação as referências recebidas do pai e padrasto. “Estamos sempre absorvendo influências externas. As referências que eles me passaram foram muito mais voltadas para a paixão pela música, do que num estilo em si”, indicou ela, dona de declarações polêmicas. “Fiz aulas de piano e violão, mas não segui adiante por causa da carreira de atriz. Mas minha vida foi sempre permeada por música”, acrescentou a atriz, apontada como affair de Dado Dolabella.

‘Conservadorismo vem do medo do novo’

Sobre suas declarações sobre sexo – já confessou ter transado com dois ao mesmo tempo-, Cleo minimizou. “É uma coisa natural, cada um sente prazer de um jeito e é fundamental termos essa liberdade. Mas acho importante que a gente possa discutir isso sem vergonha ou preconceitos”, afirmou. “Apesar de termos avançado muito nos últimos tempos, ainda existem pessoas reprimidas para se expressarem e viverem sua vida sexual”, acrescentou. “Acredito que esse conservadorismo vem muito do medo que as pessoas têm de conhecer o novo”, completou. E ao ser questionada se apaixonaria por uma mulher, foi direta. “Na verdade, já sou apaixonada por diversas mulheres. E paixão não tem nada a ver com sexo. Sou apaixonada pela minha mãe, pelas minhas irmãs, minhas amigas. Eu me apaixono por ideias, por ações. Sou uma mulher extremamente apaixonada”, finalizou.



Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-SemDerivações 4.0 Internacional

.