Militantes do Estado Islâmico que degolaram padre francês obrigaram freiras a assistirem ao crime

Dois militantes do Estado Islâmico que degolaram um padre na igreja de Saint-Étienne-Du-Rouvray, na região da Normandia, na França, obrigaram duas freiras e dois fiéis a acompanharem a execuçao. Os suspeitos filmaram o momento em que cortaram a garganta do sacerdote, enquanto realizavam “uma espécie de sermão”. As informações são do portal de notícias britânico The Independent.

Os criminosos obrigaram Jacques Hamel, de 84 anos, a ajoelhar-se enquanto eles realizavam a atrocidade. O padre tinha se aposentado com 75 anos de idade, mas assumia o posto quando o sacerdote regular, Auguste Moanda-Phuati, não podia comparecer às missas. Nesta terça-feira (26), era Hamel que estava à frente do altar quando os homens invadiram a igreja, às 9h43 do horário local.

Uma das freiras deu entrevista à rádio francesa RMC e à rede de televisão BFM contando como o crime aconteceu:
— O padre tentava se defender, mas os homens eram muito violentos: forçaram-no a se ajoelhar e cometeram a atrocidade enquanto filmavam toda a cena. Fizeram uma espécie de sermão em torno do altar, em árabe.

A freira, chamada de Irmã Danielle, contou que fugiu assim que o padre morreu.

Todas as pessoas que conheciam a vítima afirmaram a veículos de mídia locais que o padre era um velho conhecido dos católicos da cidade, e que estava sempre disposto a ajudar.

O jornal francês Le Figaro informou que a igreja pode ter feito parte de uma lista de locais de culto católico nos arredores de Paris que foram listados como possíveis alvos de Sid Ahmed Ghlam — um estudante argelino que foi preso no ano passado, suspeito de assassinar uma mulher enquanto tentava atacar uma igreja em Villejuif.



Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-SemDerivações 4.0 Internacional

.