Polícia do DF investiga venda de 'kits abortivos' com Cytotec em redes sociais

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga a venda de “kits abortivos” por R$ 300 em redes sociais. Segundo informações do site G1, o anúncio de quatro comprimidos de Cytotec foi feito na página “Feira do Rolo Ceilandia”, que já é alvo de várias operações por comércio de drogas, armas e pirataria. O Cytotec começou a ser vendido no Brasil para o tratamento de úlceras, mas foi proibido em 2005 por ter ação abortiva. O medicamento não tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Ao ver o anúncio, alguns membros da página protestaram no grupo e denunciaram a oferta a policiais militares e civis. Outros remédios com o mesmo princípio ativo do Cytotec, o misoprostol, não podem ser vendidos em farmácias e têm uso restrito em hospitais. A venda é considerada infração sanitária gravíssima, além de crime hediondo.



Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial-SemDerivações 4.0 Internacional

.